OAB cobra concurso e nomeação de juízes para Monteiro durante ato público

Compartilhe
 Na última quinta-feira, 01, dezenas de advogados e advogadas da Comarca de Monteiro e região do Cariri paraibano participaram do ato público contra a falta de juízes em Monteiro. O ato, intitulado *“Monteiro Terra do Nunca – Nunca tem juiz”*, contou com as presenças do presidente e do secretario geral da Seccional, Paulo Maia e Assis Almeida, e do presidente da Subseção, Jairo Oliveira.
O presidente Jairo afirmou que “pela primeira vez na história da advocacia paraibana as mazelas do poder judiciário estudual foram expostas e discutidas em praça pública, e o que é  mais importante, com a participação e apoio de autoridades locais, entidades classista e do cidadão comum. Com a participação daqueles que são vítimas diretas da morosidade e do descaso do poder judiciário da Paraíba”.
Para surpresa de todos no momento do protesto, três juízes estavam presente no fórum na Comarca e lá permanecendo após o meio dia, o que, segundo Jairo, “foi um verdadeiro milagre”.
Com um discurso corajoso e contundente, o presidente Jairo destacou a importância da união da categoria e da unidade da luta. “Todas as discussões acerca da morosidade da Justiça, quando às portas fechadas, nos gabinetes, têm resultado pouco significativo. Ontem nós fomos ouvidos, o nosso grito ecoou. Tive a oportunidade de dizer que o poder judiciário é tal qual um vampiro, tem medo da luz e ontem nós estávamos debaixo de um sol a pino, de uma claridade imensa, levando a nossa mensagem de forma clara e objetiva”, declarou.
Ele foi além e garantiu que a advocacia  paraibana não irá aceitar a alegação do TJPB de inexistência de condição orçamentária para a contratação de novos juízes e serventuários. “Se existe verba para pagar auxílio moradia, auxílio paletó, auxílio alimentação, e tantas outras despesas tão imorais quanto os ditos auxílios, obviamente que existe verba para realizar concurso e nomear juízes e funcionários”.
Ecos do movimento – TJ nomeia juízes para Monteiro
De acordo com a representante da OAB/CG em Monteiro, Taua Domiciano, o movimento já começou a surtir os efeitos desejados, pois justamente no dia do ato, o TJ designou três juízes para a Comarca de Monteiro. “Embora isso seja um evento raro, pois segundo relatos dos advogados mais antigos, há 10 anos não aparecia três juízes em Monteiro”, informou.
O presidente da OAB-PB, Paulo Maia, classificou o ato como precursor. “Além de advogados e políticos, o mais importante foi a presença de representantes da sociedade civil organizada, sobretudo da população, que se fez presente e entendeu qual o motivo da morosidade, da sua ida ao Judiciário que não encontra resposta”, declarou.
Compartilhe